SP-LX

Entre São Paulo e Lisboa  neste momento existe o corpo trêmulo e vibrante que vou sendo. Caminhar pelas ruas de uma São Paulo barulhenta só me parece possível porque tem muita Lisboa Tejo Mouraria Imagena pele…

é muito som, ruído, carro, gente que é número, isso mesmo, sentir-me um número, mais uma, ali, no meio da multidão anónima que vai dando passo por passo uns atrás dos outros na linha 4 do metrô, linha amarela no meio da tarde e no meu corpo a sensação de que se alguém bobear alguma coisa acontece corpo limite treme som rrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr

andar muito rápido, a pé, de ônibus, de carro, rápido, apertado, espremido, esmagado, atirado, lançado, não dá tempo de criar raiz, de imprimir a pegada na calçada, como os meus pés imprimem por ex. no Intendente. Aqui não dá, não deu, não vai dando. ups. desculpa, encostei em você? Os encontros casuais, passageiros, o beijinho que é rápido também, não dá tempo de cumprimentar com 2 beijinhos, é um só… nossa, já não lembro, pois é, já não lembro.

cidadar. ci da dar. dadão. ão ão.

entro na puc/SP, nas aulas da Christine Greiner andamos a estudar o conceito de “comunidade”. Roberto Espósito, Simondon, Aganbem, Nancy, todos homens, só ela, Judith Butler, ela ela ela. COMMUNITY ART tem tudo a ver com o trabalho do c.e.m, seria interessante vocês lerem este texto por lá… dizem eles, penso eu… aham… teoria escorre pelo corpo, toma a cadeira e a velocidade desta cidade chega em pensamento até Lisboa, boa, amiga, companheira. Tanto trabalho. Faz toda a diferença a continuidade, o tempo que passamos na rua no meio da vida quotidiana, reconfigura a noção de espaço público, dá a ver o outro, a cidade se retece, se entretece, se. No enquanto, é mesmo na duração de existir o enquanto. Cria outro lugar para a arte que é trabalho, e que é criação da vida, por que nunca está pronto, vai sendo.

o texto aparece assim aos goles. tenho outro ritmo aqui, o contexto cria o corpo. que cria o contexto.

espera, ouvir. avançar.

Helena vem falando da presença do corpo nos media. Manifestações, caras tapadas, de novo o Espósito. A vida on off line.

não durmo muito por aqui, não dá.

A cidade tem mais árvores agora ou os meus olhos é que só estão vendo agora?

Danço. Japão-Brasil. Minas Gerais. juiz de fora. Corpo implicado no fazer acontecer, Corpo ser acontecendo.

O CRU vem ganhando novas formas, encontrando forma de ser aqui. É de facto a documentação da cidade no corpo… o espaço está no corpo que dança a cidade que dança.

São Paulo-Lisboa.

Mariana

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: