histórias da rota e ajuntamento de 17 de maio

são 9 da manhã. desço a calçada da estrela lendo. hoje não trago a cadeirinha que se chama antónia, trago o livro e o segredo de ser o meu dia de anos. não é que não haja tanta gente que sabe…é que sinto o segredo de celebrar a vida, o que quer que isso seja.
choveu tanto de noite, está frio e as botas escorregam nesta mistura de pólen e água que cobre a calçada. é curioso como posso ler enquanto acompanho a manhã em lisboa, é uma atenção que se encaracola na inclinação da cabeça para o livro e se desarqueia no ar das ruas,na conversa dos velhotes na esquina, no som dos passos molhados.
frente ao supermercado está a romena sentada a pedir. hoje não me pede nada, diz bom dia. pede agora que já passei mais à frente.
automático.
mercado da ribeira, a alice está de volta, esteve doente. continuam estas árvores em potes a fazer fileiras por aqui fora. estão cheias de piolhos, diz a jesus. devem estar aqui para algum programa de televisão.
sinto-me bem vinda, passo pelas bancadas deixando a fanzine da semana e assim que me afasto já estão a lê-la. sinto-me próxima. os outros rotadores só devem ajuntar-se lá mais para a frente no largo da achada com as crianças da escola da madalena, se a chuva der um descanso, mas encontro a sua companhia em cada detalhe.
como um tecido de afectos criado por pessoas e por lugares. não me canso de olhar-tocando sem pressa e em cada momento vejo chegar aos olhos, à pele, aos sonhos, formas diversas. como se aquele vaso na janela nunca tivesse querido aparecer e agora viesse caminhando comicamente para mim. outro segredo daqueles que estão bem à mostra mas não deixam de ser segredos.
a cidália lá está atulhada de trabalho na rua cor-de-rosa.agora limpa os bares um à frente do outro. diz que gostou da camisola encarnada que lhe trouxe a semana passada, diz também que a vida está muito difícil, mas isso diz sempre, e também ri logo a seguir.
a mulher surda-muda que a semana passada estava aqui à espera de sorte debaixo da ponte e que amou dançar com os rotadores hoje vai ali à frente já com cliente. já não a vejo à volta. tenho que ir andando para a mercearia da alda e da lídia na travessa do cotovelo. hoje também a lídia faz anos, uma pessoa muito especial. sempre de coração aberto. diz que para o ano passamos o nosso aniversário juntas em cabo verde, que há lá muita gente com vontade de nos acolher! gente incrível que tenho tido o prazer de conhecer.agora a loja da esquina com a rua do arsenal está em obras e vão lá sempre buscar água, encantados com esta ilha de morabeza.
atravesso a baixa como se fosse de passadeira rolante. os caminhos fazem-se fluidos, mesmo por entre as obras, os canos em exposição largam cheiro a gás.estou feliz e com esperança. estou feliz de estar feliz e tenho esperança em nada que aí venha. é um estado de esperança em nada. esperança. há-de ser um estado de disponibilidade para ver através de ver, para prezar o que encontro, para agradecer estes momentos incríveis do acontecer da vida.
muita tinta corre ainda durante o dia. vou sendo abraçada com amizade.
querida piedade do largo da severa que escreve uma carta ao meu filho andré como prenda de anos para mim.pede-lhe que me trate sempre bem, que me ame, que não me deixe sózinha quando eu for velha…o senhor jorge da tipografia aqui de baixo conhece bem o guilherme da carrinha dos douradores, é tudo conhecido uns dos outros. as da peixaria vêm andando até ao café do joão, comer um bolo e fazer a raspadinha. parece que sexta feira é um bom dia para celebrar aniversários, diz a ana.
caminhadas contínuas rumo à mesquita ali na rua por detrás do chafariz do benformoso, onde mora o joão e a alice.
as mulheres esperam à porta, os homens não páram de entrar.
querida amália de roupão no beco da amendoeira recebendo-nos para o almoço. o grande felismino está de mau humor mas mesmo assim não resiste a um abraço amigo. finalmente o filho ricardo vai seguir a sua vida, vai ser pai, e este casal festivo vai fechar a porta à noite e ficar sózinho em casa…mas isso será com certeza depois de terem estado com meia mouraria nos jantarinhos e cantorias…agora já existe uma cozinha comunitária no bairro mas mais comunitária que esta casa de porta e coração aberto duvido…
os meus amigos vão aparecendo ao longo do dia.chegando e saindo numa dança enleada. voltamos pela rua dos fanqueiros com pausa de uns minutos no estúdio branco e macio do cem para voltar a sair rumo ao ajuntamento na cruz dos poiais.a fanzine da semana traz o manel e o pavão chico na capa, é a festa aqui nos poiais. o costa dá-me uma flor amarela e conta uma daquelas histórias enormes que não seguem nenhuma narrativa, a isabelinha conta histórias de ir para o 2001 até às 8 da manhã curtir rock, luis chega atrasado e cheira mais a vinho mas não deixa de rodopiar e pular e prometer que amanhã(sábado) vai ajudar outra vez a criançada a saltar para o buraco do 9-9A na revoada. a ver se não chove…ficamos, ficamos. vamos crochezando as novas rosas para os micro-bailes. conversamos, escutamos, dançamos.
a chuva insiste aos solavancos, até amanhã.os rotadores-amigos abrem a malha cada um para sua casa.
pois hoje já é domingo e já sei que choveu…revoaram com certeza de outras formas.
eu cheguei agora de uma conferência na culturgest sobre arte e técnica, sobre a necessidade de deixar que a terra seja de novo invisível. sim, partilho esse segredo.
outro segredo.
uma arte que está na relação, está na sensação de amplitude da vida.
uma arte sem autorias, como uma mensagem na garrafa, um papel escrito num livro…ser-estar-fazer. a arte de estar, a arte de ser e que o fazer não se isole e não se esqueça do estar e do ser…
boa noite
sofia

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: