a festa em directo e outros pensamentos

escrevi umas notas sobre a festa na mouraria domingo passado para a fanzine e, relendo-as, fiquei com vontade de as deixar respirar e ouvi-las neste contexto mais amplo que é postar num blog sem saber quem vai estar comigo na companhia destas reflexões, destas histórias, destas descobertas, destas urgências—é que a fanzine é entregue uma-a-uma, olhos nos olhos, à sombra de conversa, por vezes em troca da fanzine da semana passada ou de outras mensagens que vamos fazendo circular, não é deixada em abstracto—–embora por vezes fiquem duas ou três em cima do balcão, mas aí é o sr. joão ou a dona irene ou quem quer que esteja por perto desse balcão que vai entregando a um alguém qualquer que, como diz Agamben em “a comunidade que vem”, não é indiferente.
as notas eram mais ou menos assim embora me tenha alargado um bocado para lá do que vai aparecer na fanzine desta sexta feira:
lá tivemos a festa no largo do terreirinho, mesmo por cima do bar anos 60. foi o xúlio da galiza mais amigos-moradores e atravessadores da mouraria que, sem intermediários, sem esperar pelas condições ideais, sem projectos e mais projectos, ali no acontecimento em directo, que fizeram acontecer a festa. e vai de canções e vai de danças e vai de febras e vai de queimadas e vai de fados e guitarradas e vai de flamencadas e vai de gaiteiros e mais pinturas e azulejos e prega um prego e traz o escadote e pendura lá isso aí e chega-me aí a fita e faz-se a festa! fosse novo ou alto ou cansado ou costureira ou estrangeiro ou presidente ou velho ou morador ou criança ou distraído, fosse o que fosse, ajuntámo-nos no largo pela tarde fora e a boa nova é que o espaço vai mesmo estar disponível para quem queira começar qualquer coisa por ali, um espaço aberto a quem mora e quem passa. ainda falta muito trabalhinho pelas salas porque,como nunca tinham sido abertas para circulação, precisam de se ver nesse lugar em vez de serem armazém do bar lá de baixo.
trouxe-me as histórias da bela do mercado com as cegadas e os grupos de teatro e outras movimentações que brotam directamente da vontade de mexer o ar e respirar como quem está vivo-brilhante.
claro que também me aparecem as questões que estão agora tão gritantes em relação à democracia e à crise da representação que esvaziam a credibilidade do parlamento, que distanciam a estratégias de acção do “coro” ao qual são aplicadas—também me aparecem conversas que têm insistido em insistir em torno desta sequência desprovida de sentido que nos encadeia de “função em função” desde a escola, à universidade, aos inúmeros mestrados e doutoramentos, ao emprego distante daquilo que alguma vez desejámos, à entrada na “inutilidade”, o centro de dia, o o lar-depósito e a morte sem luto.
tanta energia a fugir pelos buracos das burocracias e das coisas que se fazem incontornáveis e que afinal só impedem o movimento. tantas organizações que se esgotam na própria organização atrofiadas nas “fórmulas para facilitar”…parece que andamos a construir muros e a discutir sobre como destrui-los, como uma história infantil em que os homens se cansavam dia após dia a apanhar sol numas cestas porque as casas tinham pouca iluminação…às vezes parece que vamos andando angustiados com a sobrevivência sempre a pensar no que nos falta sem ver o que está sempre lá pulsando e nascendo com teimosia.
e ainda a ideia fixa de que o gesto ou a palavra nascem por reacção a um qualquer “estímulo externo”—-mesmo que esse “externo” seja um sinal da própria digestão, uma alteração no tónus da respiração, um sonho recorrente—-e aí ainda confundimos com “interno”—
mas então e o nascer do gesto ou da palavra no brotar do movimento, na pergunta, no desejo sem ser no “desejo de”
então e a criação no próprio brotar da criação? fico surpreendida quando oiço pessoas das artes falarem dessa procura de um input, de um estímulo, de um desassossego “externo”—-ma então criar é uma reacção?
mmmmmmmmmmmmmm não me parece
sofia
IMG_1130

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: