O Largo onde começa?!

Ajuntar no largo…

calor sorriso um estar largo as ancas que ganham logo deslize escorregar balançar cair do fémero na cavidade do pélvis foi atravessar tudo isto num atravessar sem paragem no largo…

na outra sexta estivemos juntinhos, uns poucos, numa bordinha do largo, ali pela frente do lado do teatro

e foi-se o largo fazendo-se e refazendo-se sem velocidade mas muitas vezes sem se poder acompanhar essa mudança com os olhos!

por ali três mulheres grandes enormes matronas bem no meio junto ao monumento da bola dos…

ancas rodam e deslizam

hoje fomos chegando ao largo com a sofia desde o martim moniz parando para comer sopa e croquete num cafézito ali na rua do Pedro

fomos falando de embriologia, dobras, pulsação, diferenciação, e de como iriamos estar no largo

olha como for mas se calhar vamos cada uma do seu lugar, ouvindo o que é o outro??

continuo a andar e a sofia desaparece e volta aparecer estava bem sentadinha no banco da “tolerância” de pés descalçados e livro-suporte-autonomia entre as pernas

eu fui por ali fora. apareceu aquele suspiro de chegar ali e parei por ali plantada um tempo porque me parei. fico sempre um tempinho sem ver nada quando chego ali e depois vai aparecendo o corpo-largo-corpolargo. dali puxaram-me os amendoins em direção ao sr que concerta coisas em pele. dali fui para um canto junto das escadas que sobem pela rua acima por cima do largo, ficando ainda ali perto da parede da “tolerância”.

o eu no eu o outro no outro fecho os olhos e aparece-me a malhar da respiração celular tenségrité corpo fluido e fusco dentro com pele e contornos bem definidos o dentro do dentro da pele plano chão diagonal muitas pessoas passando pertinho de mim que estou sentada tão diferente hoje! e tantos clusters de pessoas abertos! vou deixando o chão chegar aos meus pés enquanto como os amendoins todo corpo lateja ao sol fico a ouvir danças em mim na quietude sofia continua mesclado e sem que a veja daqui onde estou vêm-me à cabeça frases como ninguém vem para qui alone ninguém aqui alone existe vou perto da sofia e grande conversa com as srs por ali muitas conversas cruzadas surgem trocas escritas para a franzine n°s de telefone dias da semana meu corpo continua a dançar no lugar venho então amanhã! até amanhã! e tia e irmã e cunhada e talvez o grupo de estudo seja ali mesmo entraram as letras das canções para as velhotas do centro do dia por ali adentro  fui indo e vindo para mais longe do largo levando-o comigo no meu coração!!

sara

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: